11 de agosto de 2017

Vi

93, Buriti Alegre. Ao mundo fui entregue, nem elite nem plebe. Minha mãe recebe, Aliviada agradece.
Pra Deus envia uma prece.

De mim só gratidão.
Pai e mãe na certidão, Boa educação
Eu com mais 03 irmãos,
Não sobrava espaço pra solidão

Respeito eu herdei
Pois minha vó Escutei, Pra praticar o que sei
E isso me fez bem, me mostrou alem...
Vi que não precisava competir com ninguém

Mas...

Com 7 sai de lá
Em MG fui morar, Foi bom pra variar
Conhecer novo ar, pessoas e lugar,
Enriqueceu bastante o meu caminhar

As raizes não cortei
Humildade semeei e um efeito causei
De pessoas boas me aproximei
Falsidade sempre identifiquei

Um tempo morei no gueto
Quando entrei era queto, pra não gerar desafeto
Magro como um graveto, esse era meu jeito
Não era muito marrento

Muito rap escutei lá,
Até me arrisquei em catar
Vida Loka, Um bom lugar
Clássicos pra relembrar
Pacto, Expressão ativa

Scratch não era pros trash Moinho de vento, break dance
E até hoje prevalece,
convivência que enobrece
Periferia não é mesmo o que parece

Só de perto percebi,
Que tinha muita riqueza ali Lugares bom sair, alguns não pude ir
Minha mãe achava melhor prevenir

Alguns até quiseram meu mal Mas não fiz igual, prossegui na moral,
Preferi manter o racional,
Qualquer erro pode ser fatal

Entrei na brincadeira
Pipa era zoeira, alegria verdadeira
Rolê de bike na feira, Fute na quadra de areia
Preocupar era besteira

E nessa o tempo passou uma ideia brotou Ate me incomodou
Dizendo pra me mudar
Chega de tolerar
Padrasto querer mandar
Vou pro meu pai pra morar
Mãe não precisa chorar
Não vou deixar de te amar
Preciso me jogar
Pra Goiânia mudei
Pro pai me expliquei Ele entendeu muito bem
Achou melhor também
Eu então, nem se fala Foi como sair da senzala
Pra mim nada se iguala
Uma libertação livrei da uma prisão Não era ingratidão
Sei que não era a intenção
Gerar insatisfação
Mas por alguma razão Apertou meu coração De la sai sem temer Como se pudesse prever
O que alguns anos a frente
Iria me acontecer
No colégio, no tédio
Tocou o meu celular Meu irmão na afliação Chorando veio me falar
Que eu nao ia acreditar
A noticia era forte,
é melhor me sentar Pra não perder o norte
Lembra de quando saiu
Meu pai estava mal? Poisé, ele piorou Levei ele pro hospital
Lá eles me disseram
Que ia ter que internar Tinha que levar roupa Voltei então pra buscar
Só que quando voltei Pirei com que deparei Ele ja tava deitado
Tentando ser reanimado Eu querendo saber
O que ia acontecer
Não queriam dizer Pediram pra eu sair 
Não era útil ali ia ter que esperar
o médico ia me falar Tive entao que aguardar
Numa aflição que só
Esperei com a vó
Depois de varios minuto
Eu ja ficando puto Até que apareceu
Chamou quando me viu
Eu ainda tinha esperança Ele não passou confiança
Cheguei mais perto
A minha perna tremeu
Foi quando ele me disse O seu pai faleceu.






Cristo é a solução
Esqueci religião Concentrei na união Doutrina é enganação Vida é improvisação

Só o tempo vai dizer
Quem é capaz de viver
E de sobreviver
Uns vão enlouquecer
pra poder aprender
O que tem que aprender

A lição é longa
Ignorância assombra
Preconceito Perturba
Muita gente pergunt E a muita gente magoa Vejo muitas pessoas Que não respeitam as outras Impõe unica escolha Eu quero é conhecimento Me livra desse tormento Ancora no pensamento Que sopre os bons ventos E me tragam os Muito menos opção de relação
Então pega essa visão E aprende a respeitar
Pros dentes conservar
Pra alma se libertar

A violência desse mundo é teste Plante o amor não importa quanto custe Pois guerreiro é aquele que persiste Convive com o mal e nunca desiste

Nenhum comentário:

Postar um comentário